Atenção terapêutica

Como pode uma pessoa, que precisa construir para si uma dimensão social do Eu, partir para o mundo e, depois, mover-se nele rotulada como “um conjunto de sintomas”? É como obrigá-la a “ser” sua doença, em vez de si mesma” (Montobbio e Lepri, 2007, p44).

A Fundação Síndrome de Down planeja e desenvolve atividades terapêuticas de acordo com o Modelo social de atendimento à pessoa com deficiência.

As intervenções propostas não se pautam, em um primeiro momento, nos conhecimentos que se tem acerca da deficiência intelectual, tampouco, na síndrome de down. Isto porque acreditamos e defendemos que as pessoas sempre extrapolam os limites de nossos conhecimentos sobre as deficiências.

Nossa equipe multidisciplinar, orientada por um coordenador (Coordenador de Usuários), realiza o Estudo de cada caso em atendimento. Neste estudo priorizamos as demandas trazidas pela pessoa própria com deficiência e/ou expressas por familiares.

Não desenvolvemos atividades de estimulação precoce, pois defendemos que toda ação terapêutica deve ir ao encontro das necessidades manifestadas pela pessoa em atendimento. Práticas reabilitadoras não são realizadas pelos técnicos da equipe multidisciplinar da Fundação Síndrome de Down. Consideramos o percurso de desenvolvimento de cada pessoa e não propomos intervenções que visam antecipar ou acelerar este desenvolvimento. Nossa equipe planeja e realiza Intervenções oportunas, logo, intervenções que caminham ao encontro das possibilidades, solicitações e interesses das pessoas por nós atendidas. As ações terapêuticas, tanto avaliativas como de intervenção e de matriciamento, são registradas em um documento denominado Plano de Ação.

O Plano de Ação é da pessoa em atendimento e não das especialidades envolvidas, tem: objetivos claros, atividades condizentes com os objetivos traçados, duração específica e articulação entre as diferentes áreas. Assim, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, psicólogos propõem avaliações e intervenções sempre que o estudo do caso revela demandas específicas a serem trabalhadas por estas especialidades.

Uma pessoa em atendimento pode ainda se beneficiar das intervenções do serviço social e da educação especial sempre que necessário.

Fonoaudiologia

A Fonoaudiologia na Fundação Síndrome de Down realiza avaliações, intervenções oportunas e matriciamentos direcionados às pessoas com Deficiência Intelectual. A Fonoterapia, quando necessária, pode acontecer nas modalidades individual ou grupo, dependendo da indicação técnica da avaliação, que considera as potencialidades e as necessidades comunicativas de cada pessoa.
A prioridade do atendimento fonoaudiológico é o desenvolvimento cognitivo, pois acreditamos que esse desenvolvimento é a base para que as pessoas avancem nas questões relacionadas à linguagem e apresentem comportamentos sociais compatíveis com cada faixa etária.
Para oferecer oportunidades de desenvolvimento de linguagem utilizamos alguns recursos, entre eles a Comunicação Suplementar e /ou Alternativa (CSA). Com a utilização da CSA as pessoas com Deficiência Intelectual passam a se sentir mais competentes nas habilidades comunicativas e no estabelecimento de diferentes relações sociais.
Sempre que o Estudo do Caso revela demandas relacionadas à áreas específicas da Fonoaudiologia que não são o foco de trabalho da Instituição, são realizados encaminhamentos e parcerias, a fim de que as necessidades de cada pessoa em atendimento sejam contempladas em um projeto terapêutico articulado, consistente, transdisciplinar e inclusivo.
O objetivo da fonoaudiologia na Fundação Síndrome de Down é a eliminação das barreiras comunicativas impostas pela sociedade às pessoas com Deficiência Intelectual, pois acreditamos que essa eliminação de barreiras é necessária para a constituição de uma sociedade inclusiva.

Fisioterapia

A Fisioterapia na Fundação Síndrome de Down desenvolve atividades de avaliação, terapia e matriciamentos. Tem por objetivo promover o desenvolvimento motor de pessoas com deficiência intelectual. Assim como as demais especialidades que compõem a equipe multidisciplinar, a Fisioterapia não realiza atividades de estimulação precoce, tampouco atividades que envolvam treinamento. São as próprias pessoas em atendimento que definem os percursos e o tempo para atingirem os marcos motores do seu desenvolvimento. O fisioterapeuta realiza Intervenções Oportunas nas quais as pessoas atendidas são protagonistas dos seus comportamentos motores, conforme dão sentido e função para os mesmos. Os atendimentos podem ser realizados individualmente e/ou em grupo, na modalidade de fisioterapia solo e/ou aquática, de acordo com a indicação técnica feita após avaliação.

Terapia Ocupacional

A Terapia Ocupacional na Fundação Síndrome de Down realiza atividades culturais, lúdicas, corporais, e que promovam acessibilidade. Todas essas ações propostas levam em conta o cotidiano, desejos, necessidades e contexto social de cada pessoa atendida. Desenvolvemos atividades avaliativas, intervenções oportunas e matriciamentos. São feitos atendimentos individuais ou em grupos de acordo com o estudo de cada caso. Não realizamos treinamentos, ou mesmo atividades mecânicas e automáticas, pois não acreditamos e não defendemos propostas baseadas em princípios e teorias comportamentais.
Buscamos com nosso trabalho oportunizar o desenvolvimento da independência e da autonomia desde os primeiros anos de vida até a vida adulta. Isso sempre visando a qualidade do seu desempenho funcional nos mais variados papéis sociais, na família, na comunidade, na escola ou no trabalho.
A Terapia Ocupacional trabalha de maneira articulada com todas as outras especialidades da Fundação Síndrome de Down. Destaca-se a parceria com a Fisioterapia, a Fonoaudiologia e também com a Pedagogia.