Arquivo da tag: Adulto

Desafios e possibilidades da inclusão no mercado de trabalho

Segundo o último censo demográfico realizado em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, a população de pessoas com deficiência era de 45.606.048 pessoas. Considerando o aumento natural da população total de brasileiros, é de se esperar que este número também tenha aumentado. 

Em 2015, foi instituída a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência – LBI, destinada a assegurar e promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais por pessoa com deficiência, visando a sua inclusão social e cidadania. Com a LBI, passou-se a adotar a definição de deficiência como a relação de impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial e as barreiras sociais que possam obstruir a participação plena e efetiva do indivíduo na sociedade em condições de igualdade com as demais pessoas.* Assim, a deficiência não está somente no indivíduo, mas também nas relações deste com o contexto em que está inserido e as barreiras ali encontradas. 

A temática da inclusão tem sido amplamente debatida, principalmente no contexto do mercado de trabalho. Mas por que precisamos falar de inclusão? É possível realmente realizar uma inclusão efetiva? Quais os desafios do processo de inclusão? Motivada por estes questionamentos, a Fundação Síndrome de Down propõe uma roda de conversa com o objetivo de proporcionar espaço para reflexão, discussão e compartilhamento de experiências sobre as questões relacionadas aos desafios da inclusão efetiva de pessoas com deficiência intelectual no mercado de trabalho.

*Lei Federal nº 13.146, de 6 de julho de 2015 – http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm 

“Estamos correndo atrás de nossos sonhos e não deixamos ninguém para trás”

Discriminação, baixas expectativas, barreiras de atitude e exclusão ainda são vivências comuns em suas rotinas, fazendo com que muitas pessoas com Síndrome de Down e deficiência intelectual sejam deixadas para trás.

Ao longo dos últimos anos, um grupo de adultos da Fundação Síndrome de Down, participantes do Grupo Mundo do Trabalho, vem refletindo sobre suas trajetórias, lutando para conscientizar a sociedade sobre as potencialidades das pessoas com deficiência intelectual, dar visibilidade às suas conquistas e garantir o acesso a uma vida plena em todos os espaços sociais.

Neste ano, como parte das ações de conscientização da luta das pessoas com  síndrome de Down será realizado no dia 16 de março o evento “Estamos Correndo Atrás De Nossos Sonhos e Não Deixamos Ninguém Para Trás” que contará com a presença de 25 jovens/adultos que se responsabilizarão pelo planejamento e execução de palestras relacionadas às batalhas enfrentadas ao longo dos anos para a garantia de direitos como educação e trabalho.

Acreditando que todas as pessoas devem ter oportunidades para viverem e serem incluídas em igualdade de condições em todas as esferas da sociedade com os devidos apoios necessários, este grupo compartilhará no evento suas experiências para promover mudanças na sociedade, demonstrando, através de suas narrativas, como as atitudes negativas e a falta de conhecimento sobre o potencial das pessoas com deficiência intelectual e síndrome de Down podem fazer com que muitos sejam deixados para trás e como informação, respeito, apoio e oportunidade fazem toda a diferença no processo de construção de uma sociedade inclusiva.

Fundação Síndrome de Down abre inscrições para o Curso de Iniciação ao Mercado de Trabalho

Entidade reciclou metodologia para atender às necessidades atuais do universo corporativo devido à retração de vagas

A Fundação Síndrome de Down, entidade conveniada à Fundação FEAC está com inscrições abertas para o Curso de Iniciação ao Trabalho (CIT) no qual pessoas com deficiência intelectual acima de 17 anos aprendem, por meio de aulas teóricas e práticas, os primeiros passos para começar a trabalhar e, consequentemente, conquistar mais independência. As aulas começam em 15 de fevereiro.

Neste ano, a equipe de profissionais do CIT reformulou o curso, pioneiro em Campinas e que já empregou 100 usuários no mercado de trabalho nos últimos 15 anos.

Nesta edição,  curso apresenta um novo formato e traz aulas práticas e teóricas organizadas em quatro módulos (Quero trabalhar, por onde começo?/ O que é mercado de trabalho?/Compreendendo o ambiente laboral e Ampliando conhecimentos). Para compor este novo modelo, foram mantidas importantes avaliações como: Sondagem de interesses, Desejos x expectativas sobre o trabalho, inseridos nos temas como: Inglês no mundo de hoje, Etiqueta empresarial, Bom senso nas redes sociais e outros. O objetivo desta reformulação é atender as necessidades e minimizar as dificuldades do primeiro contato com o mercado de trabalho, que está cada vez mais disputado devido à crise e ao consequente desemprego.

“Pessoas com deficiência leve desempregadas que não utilizavam as cotas das empresas estão buscando essas vagas porque suas chances aumentam. O mercado de cotas se tornou mais concorrido porque as empresas diminuíram o número de funcionários e, consequentemente, vagas para pessoas com deficiência também caíram. Estamos preparando melhor nossos usuários com um curso mais dinâmico e condizente com o mercado atual”, explica Paula Chagas, assessora ao mercado de trabalho da Fundação Síndrome de Down.

Outra novidade neste ano é o curso de Reciclagem do Mercado Laboral (RML). A ideia do curso é oferecer uma reciclagem aos usuários que estão em busca de recolocação e que desejam retornar mais competitivos para o mercado. “Só no ano passado 10 usuários que foram demitidos devido à crise vieram nos procurar. Então pensamos nesse curso no qual, além da troca de experiências e reciclagem, faremos uma espécie de orientação para que se adaptem às novas necessidades do mercado de trabalho”, explica Paula.

O CIT 2016 apresenta uma carga horária de 90 horas distribuídas numa frequência de duas vezes por semana e, para complementar a grade, mensalmente, a Fundação promoverá o evento Foco no Trabalho com o objetivo de trazer profissionais para abordar os mais variados temas, como: “Eu tenho salário e agora?”, “Plano de Carreira e Motivação”.

SERVIÇO
CIT
Para maiores de 17 anos com real interesse em trabalhar
Início: 15/02
Segundas e quartas das 13h às 16h
Vagas limitadas: 12.

FSD - virada julina 2014-143

Neste 3 de dezembro Fundação Síndrome de Down comemora aumento de 5% no número de usuários

FSD - virada julina 2014-143No Dia Internacional da Pessoa com Deficiência instituição divulga balanço com mais de 6 mil atendimentos realizados até o mês de dezembro

A Fundação Síndrome de Down, em Campinas, celebra no Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, data instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), um aumento de 5% no número de usuários atendidos até dezembro de 2015. Ao longo deste período, foram mais de 6 mil atendimentos para pessoas com algum tipo de deficiência intelectual, realizados dentro dos serviços oferecidos pela instituição. Entre os que se destacam são a fonoterapia, que representa 22,4% do total, a fisioterapia, 18,3%, e inclusão no mercado de trabalho, com 12,5%.

“Os números são o reflexo do trabalho responsável e da dedicação constante de todos que fazem parte da Fundação Síndrome de Down. É muito gratificante ver este balanço mais que positivo dos esforços diários e, muito mais do que números, o melhor resultado está no sorriso de cada pessoa atendida, de cada família. A inserção das pessoas com deficiência na sociedade é o que move a instituição”, afirma Carolina Freire Carvalho, coordenadora geral da instituição. Para todos os atendimentos, a Fundação conta com um quadro de 30 colaboradores nas áreas administrativa, apoio e técnica.

A Fundação Síndrome de Down oferece apoio gratuito às pessoas com deficiência intelectual e suas famílias desde 1985. A instituição atua de acordo com as necessidades específicas de cada pessoa atendida, disponibilizando atividades dividias em cinco serviços nas áreas de apoio à família, atenção terapêutica, educação especial, formação e inclusão no mercado de trabalho e apoio à vida adulta.

Mercado de trabalho

Uma das atividades de destaque da Fundação Síndrome de Down é o de acesso ao mercado de trabalho, que, este ano, resultou na inserção de nove usuários como funcionários em setores administrativos, de produção e do varejo. Na última semana foi realizada a 6ª edição do Café com RH, evento que conta com a participação de empresas parceiras da instituição. Na ocasião, 14 foram homenageadas.

Simone, 28 anos, que trabalha como assistente administrativa em uma empresa de telemarketing, conta que no trabalho fez novas amizades e se sente mais disposta para ajudar os outros. “Trabalhar é bom também porque tenho dinheiro para viajar e ir ao cinema”. Para Sara, 31, assistente de RH, a oportunidade de estar no mercado de trabalho mostra que as pessoas com deficiência são competentes, capazes e a inclusão faz bem para todos. “O trabalho traz motivação, aprendemos a ter paciência e a ter responsabilidades”, afirma.

Ainda neste ano, a Fundação realizou seu 4º Fórum Internacional, com presença de especialistas de diversos países e lançou o livro Mude Seu Olhar, no qual convida os leitores a enxergar as capacidades das pessoas com Síndrome de Down.

Fundação Síndrome de Down convida empresas a se tornarem inclusivas

Café com RH-convite

6ª edição do Café com RH chama atenção para importância da inclusão social e econômica de pessoas com deficiência intelectual 

A Fundação Síndrome de Down convoca empresas interessadas em se tornarem inclusivas para discutirem as possibilidades e dividirem experiências durante a 6ª edição do evento Café com RH, que acontece no próximo dia 27, sexta-feira, das 9h às 12h, na sede da instituição, em Barão Geraldo. Promover a iniciação profissional de jovens com deficiência intelectual em um ambiente empresarial por meio da convivência com diferentes pares, da humanização deste ambiente e da desmistificação da deficiência é um dos trabalhos desenvolvidos pela Fundação Síndrome de Down, que já inseriu mais de 100 usuários com êxito, contabilizando mais de 200 projetos de sensibilização e capacitação, junto a 70 empresas de Campinas e região, ao longo de 15 anos.

“Com nossa experiência, formando e incluindo pessoas com deficiência intelectual no mercado de trabalho, notamos que, em muitos casos, surgiam dificuldades com relação ao cumprimento da Lei de Cotas e real inclusão deste trabalhador no ambiente coorporativo. Assim, além do trabalho de formação e inclusão do colaborador com deficiência intelectual, iniciamos um trabalho de atuação junto à empresa e ao departamento de Recursos Humanos, com o intuito de capacitá-los para entender, contratar, identificar habilidade e extrair o melhor das potencialidades deste profissional”, explica Paula Chagas, analista de ocupações.

Para este trabalho, a Fundação Síndrome de Down conta com uma equipe multidisciplinar pronta para identificar a necessidade de cada empresa e oferecer as soluções de forma que o processo de inclusão ocorra naturalmente, com respeito a diversidade humana e otimizando a produtividade do negócio. De acordo com pesquisa realizada pela McKinsey & Company, consultoria empresarial americana, empresas inclusivas tendem a ter mais benefícios ligados à melhoria na administração de conflitos, ao melhor desenvolvimento do sentimento de empatia, a maior tolerância e paciência e maior capacidade de controle emocional em ambientes sob pressão. “Para a pessoa com deficiência, o trabalho beneficia a autonomia, a qualidade de vida, o aprendizado, o respeito, o desenvolvimento, a colaboração e a liberdade. Ou seja, todos saem ganhando”, afirma Paula.

Durante a 6ª edição do Café com RH, será feita também a entrega do selo “Empresa Inclusiva 2015”, um reconhecimento para 14 estabelecimentos que, em parceria com a Fundação, ofereceram, neste ano, por um período mínimo de seis meses, oportunidades de emprego para pessoas com algum tipo de deficiência intelectual. “O momento é para confraternizar, dividir experiências, divulgar nosso serviço e, principalmente, reconhecer publicamente as empresas que estiveram alinhadas com nossa missão institucional e com a causa da inclusão, além de captar novas parcerias para 2016. Por isso, convidamos todas as empresas que quiserem conhecer o nosso projeto”, ressalta Paula.

Serviço:

6° Café com RH

Data: 27 de novembro de 2015

Horário: das 9h às 12h

Local: Fundação Síndrome de Down (Rua José Antônio Marinho, 430, Barão Geraldo).

Informações e inscrições: (19) 3289-2818

assessoria@fsdown.org.br

Fundação Síndrome de Down e El Tambo realizam formatura

Alunos do curso em visita a uma empresa.
Alunos do curso em visita a uma empresa.

No próximo dia 9 de outubro, às 19 horas, acontece a formatura de mais uma turma do Curso de Iniciação ao Trabalho, programa que integra o serviço de Formação e Inclusão no Mercado de Trabalho da Fundação Síndrome de Down.

O evento acontece no bar e restaurante El Tambo, empresa parceira da Fundação na abertura de vagas de estágio, etapa fundamental para a inserção das pessoas com deficiência que se formam na entidade. O restaurante irá oferecer o espaço, o buffet e as bebidas. “É um prazer doar o espaço para a realização do evento, pois admiramos o trabalho da Fundação”, diz Felipe Sagioro, sócio proprietário do El Tambo.

O curso visa proporcionar conhecimentos básicos sobre o mundo do trabalho, como assiduidade, pontualidade, relacionamento interpessoal, higiene e segurança, além de boas práticas no ambiente de trabalho.

Para as pessoas com Síndrome de Down e outras deficiências Intelectuais, o trabalho é via de acesso ao mundo adulto, é a possibilidade de construir um projeto de vida realista, com novas experiências e desafios. Além disso, é mostrar que não são incapazes e que desempenham papel social condizente com a condição adulta, explica Ana Carolina Freitas, coordenadora de usuários, da Fundação Síndrome de Down.

De acordo com a coordenadora, muitos avanços já foram realizados, porém ainda há muito para se conquistar no campo da inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. “Na maioria das vezes, as empresas contratam pessoas com deficiência física, visto que os desafios necessários a este tipo de contratação, são de ordem estrutural. Já na deficiência intelectual, os desafios das empresas são de maior complexidade sendo necessário investimento em alterações de processos de trabalho e mudanças de atitudes”.

Pela nossa experiência e segundo pesquisas realizadas, as empresas que contratam pessoas com deficiência intelectual apresentam desempenho significativo no ambiente organizacional, revela Ana Carolina.

email_mkt_forum_sindrome_down_03

4º Fórum Internacional Síndrome de Down

A Fundação Síndrome de Down promove seu 4º Fórum Internacional sobre Síndrome de Down em maio de 2015, na cidade de Campinas, nos dias 20, 21,22 e 23.

O presente Fórum contará com palestrantes nacionais e internacionais e o destaque será a autonomia das pessoas com Síndrome de Down e sua capacidade de ter uma vida plena de acordo com as suas potencialidades. Serão abordados temas que visam à oportunidade de chances a todos, sem discriminação alguma, reafirmando que as pessoas com Síndrome de Down não são doentes e por isso não devem ser submetidas a tratamentos, mas sim a garantias de oportunidades familiares, escolares, sociais, laborais e afetivas. A sociedade tem se assombrado com as respostas que elas estão dando quando são consideradas como pessoas que têm direito de viver uma vida autônoma. Se lhes garantem os meios, elas respondem à altura. Quais os passos que todos precisam dar para que a pessoa com Síndrome de Down seja vista como sujeito de direitos e obrigações, sem discriminação e preconceitos.

Público alvo

Psicólogos, médicos, educadores, pedagogos, terapeutas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, pais e familiares de pessoas com deficiência, estudantes e pessoas interessadas no assunto.

INSCRIÇÕES E INFORMAÇÕES: www.fsdown.org.br/forum

capa-230x230mm-v2.indd

Fundação Síndrome de Dowm abre inscrições para 4º Fórum internacional 

capa-230x230mm-v2.inddEvento acontece na Unicamp e reúne especialistas internacionais

A Fundação Síndrome de Down (FSD) realiza entre 20 e 23 de maio 4º Fórum Internacional Síndrome de Down, cujo tema é “A cada passo me preparo para minha vida”, com inscrições abertas.

Durante quatro dias haverá lançamento de livro, debates, encontros com especialistas a respeito da autonomia das pessoas com síndrome de down e sua capacidade em ter uma vida plena, de acordo com suas potencialidades, sem discriminação.

Na programação também haverá um encontro para pessoas com deficiência intelectual acima de 16 anos discutirem a respeito de seus direitos.

“Na realidade, a sociedade tem se assombrado com as respostas que as pessoas com síndrome de down estão dando quando são consideradas pessoas que têm o direito de ter uma vida autônoma”, comenta Lenir Santos, presidente da Fundação Síndrome de Down.

Entre os convidados, destaque para Beatriz Garvía, Josep Ruf Aixas, Andy Trias, todos da Fundação Catalana, Alfredo Jerusalinsky, doutor em educação e desenvolvimento da USP, Carlo Lepri, pedagogo italiano, Alberto Costa, pai, médico e pesquisador na Universidade Case Western Reserve, de Cleveland, Catriona Hippman, conselheira genética da Universidade de Columbia Britânica (Canadá) entre outros profissionais que se destacam em suas áreas (confira a programação completa no site http://www.fsdown.org.br/forum/programacao.htm)

No dia da abertura, 20 de maio, às 19h, será lançado o livro Mude seu Olhar, a respeito dos direitos das pessoas com síndrome de down e haverá apresentação do músico Dudu do Cavaco, de Belo Horizonte.

O encontro acontece no Auditório do Centro de Convenções da Unicamp, comemora os 30 anos da FSD e conta com o apoio do Ministério da Saúde e da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp.

Inscrições e programação: www.fsdown.org.br/forum

Espaços Temáticos – Inscrições Abertas

Neste mês de fevereiro, a Fundação abre vagas para atividades e curso destinados a jovens e adultos com deficiência intelectual. As aulas serão realizadas na sede da entidade, localizada à Rua José Antônio Marinho, 430, distrito de Barão Geraldo, Campinas/SP, em diversos dias da semana.

Além de atividades voltadas às artes, oferecidas no espaço ‘Ateliê’ e de dicas sobre tecnologia e navegação, no ‘Espaço Digital’, a instituição também abre vagas para pessoas alfabetizadas aprimorarem a leitura e a escrita, nas aulas de Português Instrumental e contato com o mundo do trabalho, durante o Curso de Iniciação ao Trabalho, aulas de capoeira e lazer. Confira abaixo os horários: 

Atividades e Curso

  • Ateliê: Segundas-feiras, das 13h45 às 16h50, sextas-feiras, manhã das 9h30 às 12h00 e a tarde 13h45 às 16h15.
  • Português Instrumental: Segundas-feiras, das 17h30 às 19h00
  • Capoeira: Segundas e Quartas – 19h00 às 20h00
  • Curso de Iniciação ao Trabalho: Terças e Quintas das 10h00 às 12h00
  • Espaço Digital: Quartas-feiras, das 17h30 às 19h
  • Lazer: Quintas – 19h00 às 21h00

Para se inscrever, o interessado ou responsável deverá comparecer na sede da instituição para efetuar a matrícula.  As aulas são gratuitas para moradores de Campinas/SP.

Informações: cursos@fsdown.org.br

Empresa Inclusiva - Cor

Fundação Síndrome de Down entrega selo as empresas parceiras  

A Fundação Síndrome de Down realizou no dia 27 de novembro o 5º Café com RH – Incluir para crescer, evento que tem como objetivo principal reconhecer as empresas que oferecem oportunidade de trabalho para pessoas com deficiência intelectual.

Para que estas pessoas conquistem seus espaços no mercado de trabalho, a Fundação implantou os Serviços de Formação e Inclusão no Mercado de Trabalho organizado em três programas que visam atender às necessidades de cada estágio do desenvolvimento da pessoa com deficiência intelectual: Curso de Iniciação ao Trabalho, Estágio de Formação e Contratação CLT.

A inclusão no mercado de trabalho acontece em parceria com empresas que oferecem a oportunidade de entrada destas pessoas em ambientes de trabalho que demandam autonomia, responsabilidade e possibilitam crescimento e satisfação de suas necessidades pessoais, econômicas e relacionais.

Neste evento, as empresas que empregam pessoas por um período mínimo de 6 meses no ano, receberam o Selo Empresa Inclusiva”, uma certificação de responsabilidade social. O selo é uma forte ferramenta de comunicação visual com o consumidor consciente, que identifica que a empresa tem compromissos com ações sociais e contribui para uma sociedade inclusiva. O reconhecimento agrega valor à imagem e a diferencia da concorrência.

As empresas que receberam o selo este ano foram: Applebee’s, Asga, Aulus Restaurante, Barão Pet, Carrefour, Cobasi, Creche Bento Quirino, Centro de Saúde Cassio Raposo, Dalben Supermercados, DHL, Droga Raia, Eaton, Escola Cera, Ital, Jatobá, Lojas Renner, Mc Donald’s, Pague Menos, Prime Implantes, Riachuelo e Unisal.

As fotos do evento estão disponíveis na nossa página no facebook CLIQUE AQUI

Serviço de Formação e Inclusão no Mercado de Trabalho

assessoria@fsdown.org.br