Projetos

1) Território de Todos

Acompanha e atende pessoas com deficiência intelectual no domicílio e em seu território no município de Campinas, contribuindo para a inclusão social e a apropriação dos equipamentos em sua comunidade. O projeto proporciona mais qualidade de vida para
participantes e suas famílias.

Objetivo:  fazer encaminhamentos para que as pessoas passem a usar os equipamentos da rede (Centros de Saúde, escolas, instituições sociais etc), e a partir daí frequentar e se apropriar de seus territórios. A ideia é que depois de um tempo de atendimento, os participantes entrem em um processo de desligamento, pois começam a se tornar independentes e se tornam capazes de atuar como sujeitos autônomos. Esse processo pode levar desde alguns meses, até mais de um ano, dependendo de cada caso.

Para criar o Território de Todos, as Fundações FEAC e Síndrome de Down se basearam em um serviço tipificado pela política nacional de assistência social que não é implantado em Campinas, o Serviço de Proteção Social Básica Para Pessoas Com Deficiência e Idosos No Domicílio. A demanda para a iniciativa veio do projeto Diagnóstico Socioterritorial da População Assistida pela Fundação, executado em 2016/2017 (Pronas/PCD).

Atualmente este projeto é mantido por duas fontes de recursos diferentes:

1º Fundação Feac – Programa Mobilização para Autonomia

2º PRONAS/PCD – incentivo fiscal

 

2) Ateliê Aberto (Pronas/PCD)

Promover o conhecimento artístico – através de técnicas diversas (desenho, pintura, modelagem, etc.), assim como pela inserção em instituições que promovam o objeto cultural (museus, centroculturais, galerias, etc.) – a fim de possibilitar a inclusão social, o
desenvolvimento da autonomia e a reabilitação da pessoa com deficiência por meio da arte.

As atividades pretendem trabalhar a alfabetização visual por meio da aprendizagem de técnicas, apreciação de obras e leitura de imagens, estímulo a criatividade e por meio de conversas coletivas sobre os próprios trabalhos e sobre sentimentos e sensações suscitados ou inseridos em um trabalho expressivo.

 

3) Avaliação e Acompanhamento Neurocognitivo de Adultos com Síndrome de Down e outras formas de deficiência intelectual (Pronas/PCD)

A Fundação Síndrome de Down iniciou mais um projeto aprovado pelo Ministério da Saúde, através do Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência – Pronas/PCD, sobre o envelhecimento das pessoas com Síndrome de Down.

Estudos científicos internacionais e nacionais apontam que a alteração genética do cromossomo 21 está relacionada ao surgimento precoce da doença de Alzheimer.

O projeto tem como objetivo a avaliação precoce do quadro neurocognitivo das pessoas com síndrome de Down a partir dos 18 anos e que as ações e resultados venham a fortalecer as nossas práticas institucionais de apoio às pessoas com síndrome de Down.

O projeto será executado pelo neurologista Dr. Glauco Camargo Igliori, médico formado pela USP e neurologista pela UNICAMP com especialização em Neurologia Cognitiva.

Como funciona:
Todos as pessoas com síndrome de Down atendidas pela Fundação a partir de 18 anos, serão contatados para a realização de consulta médica e aplicação de testes no período de março de 2021 à março de 2022.

Executados

1) Recolocação profissional de pessoas com deficiência intelectual (2018 a 2020)

Objetivo: Desde 1999 a Fundação Síndrome de Down trabalha pela inclusão social e profissional das pessoas com deficiência intelectual, sendo que ao longo destes 19 anos, 256 inclusões foram realizadas no mercado de trabalho.
Contudo com as mudanças no cenário econômico, o mundo corporativo vem em busca de novas atualizações no perfil das vagas destinadas para pessoas com deficiência.
Diante deste cenário, houve um aumento da procura das pessoas com deficiência intelectual para recolocação profissional e suporte para se trabalhar questões relacionadas a este contexto.
Assim buscando ampliar e oportunizar o desenvolvimento profissional das pessoas com deficiência intelectual, a Fundação Síndrome de Down, através do Programa Nacional de Atenção a Saúde da pessoa com deficiência, PRONAS, executou o projeto de recolocação profissional das pessoas com deficiência intelectual.
O projeto teve abrangência na região metropolitana de Campinas, destinado a pessoas com deficiência intelectual que já tiveram experiência de trabalho formal.

2) Expansão e Melhoria do Serviço de Formação e Inclusão no Mercado de Trabalho (2015-2017)

Objetivo: melhorar e ampliar o serviço de Formação e Inserção no Mercado de Trabalho, através da estruturação de um processo de captação de vagas e candidatos.

Empresas que destinaram incentivos fiscais via Pronas: CPFL e Unimed Campinas.

revista

3) Diagnóstico Socioterritorial da População Assistida pela Fundação Síndrome de Down (2016-2017)

Objetivo: mapear o território usado pelos seus usuários a fim de traçar perfis mais amplos de mobilidade territorial das pessoas com deficiência na cidade de Campinas e Região Metropolitana. Com o desenho dos dados que serão coletados e analisados a Fundação Síndrome de Down acredita poder, a um só tempo, proporcionar melhorias em seu próprio trabalho, potencializar a rede intersetorial da qual é parte integrante e desse modo, aumentar as possibilidades de acesso das pessoas com deficiência a seus direitos.

 

 

 

capaCLIQUE AQUI para baixar a publicação

Empresas que destinaram incentivos fiscais via Pronas: CPFL, EMS, Equipav, Rigesa Celulose Papel e Embalagens, Águas de Primavera, Águas de Sorriso, Águas de Campo Verde, Prolagos S/A, Aegea Saneamento, Lupo SA.

Imagem1